Tuesday, 6 October 2009

You need to find your own way.

Everybody needs to find their way, let me keep on finding mine.

Chego a casa molhada da chuva, com o vestido salpicado, os pés encharcados e a arrepender-me seriamente de não ter trazido para cá umas galochas ou um kispo. Mas já não me importo tanto com a chuva, já foi tempo de deixar que cada nuvem viesse acompanhada da tua ausência e que cada trovão me pregasse partidas e doesse no peito por cá não estares. Sabes, sempre acreditei no Karma, e talvez agora ainda acredite mais. Não gostava que agora os trovões te assombrassem a ti com a minha ausência e te fizessem doer o peito como a mim fizeram, mas o Karma é assim mesmo, desafia as pessoas e gosta sempre de ganhar as batalhas. Mas depende de ti, meu querido, se ganhas ou perdes esta. Gostava muito que pudesses encontrar a tua paz como eu encontrei a minha, o caminho que deves seguir, nem que seja por agora. Gostava de te dizer que é bom estar sozinho para se encontrar esse caminho, que o tempo cura muita coisa e que tu tens um coração bom, confuso e com muita tralha mal arrumada, mas bom!
Hoje quando cheguei a casa, lembrei-me como tenho medo de trovoada e como não gosto do barulho da chuva, da mesma maneira como não gosto que não consigas ficar por aqui sem causar logo estragos. Mas quando cheguei a casa, percebi também que está na altura de te largar e de te deixar a ti descobrires o caminho e a paz que eu já descobri, porque só tu podes fazê-lo.
Boa viagem, *

even the pouring rain won't keep her away.

4 comments:

Cátia Vieira said...

maravilhoso (:

M. said...

Não é nada fácil, encontrarmos caminho. Pior, encontrarmo-nos nele. Mas quando conseguimos.. vemos como foi worth it.

Gostei especialmente deste, B. *

F. said...

:)

diana said...

Gostei.

Post a Comment